Bem-vindo ao blogue do Centro de Língua Portuguesa do Camões, IP na Universidade da Extremadura /Cáceres

Bienvenido al blog del Centro de Lengua Portuguesa del Camões, IP en la Universidad de Extremadura /Cáceres




22/03/17

V Congresso Internacional SEEPLU



V Congresso Internacional SEEPLU

Tecnologias para o português    (#tecPT)

 
 

Nos dias 9, 10 e 11 de novembro de 2017, terá lugar, na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Extremadura, o V Congreso Internacional da Sociedad Extremeña de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (SEEPLU).

Será dada especial atenção às recentes e inovadoras propostas didáticas e científicas relacionadas com as TIC no ensino do português língua materna, língua segunda e/ou língua estrangeira (PLM / PL2 / PLE).


Conferências plenárias confirmadas:

- Fernando Alburquerque Costa (Instituto de Educação – Universidade de Lisboa);
- Daniel Ribeiro Alves (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa);
- Ana Amélia Amorim S. de Carvalho (Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação – Universidade de Coimbra);
- João Couvaneiro (Gabinete do Secretário de Estado da Educação / Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. António Augusto Louro; St. Peters School e Colégio dos Plátanos).

 

Temas das comunicações:

a - Legendagem;
b - Aplicações práticas das TIC no ensino de português;
c - Literacia digital;
d - Novas modalidades de ensino online;
e - Interdisciplinaridade digital: novas perspetivas para aproximar o português das
     TIC (cartografia, artes,…);
f - Elaboração de materiais de ensino de PLE online;
g - Vídeo e áudio no desenvolvimento de destrezas e competências em PLE;
h - Apps e software para o ensino da língua portuguesa;
i - TIC na e para a investigação: projetos, recursos, linhas;
j - O futuro das TIC no âmbito de PLE: novas aplicações, novos caminhos;
k - Outras propostas gerais da língua, literatura e cultura portuguesa;
l - Outras propostas gerais da didática de PLE.
 
De acordo com o trabalho desenvolvido nestes encontros bianuais, pretende-se que este congresso constitua um foro ativo de troca de opiniões e ideias, formulação de teses e abordagens, assim como uma abertura de correntes e vias de investigação, não apenas dos temas propostos, mas também dos desafios e novos temas que emergem da riqueza da comunicação intercultural e interlinguística no âmbito da Lusofonia.
 
Proposta de comunicação:

Para realizar uma proposta de comunicação deve enviar um abstract de máximo de 250 palavras, com as correspondentes palavras chaves (máximo 5) e os dados da(s) pessoa(s) que a propõem (nome completo, instituição, e-mail) para o correio electrónico congresoseeplu@gmail.com .
 

Datas importantes:

Envio de propostas: até 10 de maio de 2017
Comunicação da aceitação: 21 de maio de 2017
Entrega do texto para publicação em atas: 1 de julho de 2017

 
Comité organizador:

Iolanda Ogando (diretora)
Ana Belén García Benito (secretária)
Sandra C. Hurtado Cardoso (vogal)
Bárbara Azevedo (vogal)

Comité científico:

Fernando Alburquerque Costa (Universidade de Lisboa)
Rocío Alonso Rey (Universidad de Salamanca)
Juan M. Carrasco González (Universidad de Extremadura)
Isabel Margarida Duarte (Universidade do Porto)
Cândido Oliveira Martins (Universidade Católica Portuguesa)
Micaela Ramon Moreira (Universidade do Minho)
Enrique Santos Unamuno (Universidad de Extremadura)
Otília Costa e Sousa (Instituto Politécnico de Lisboa)
 
 
E-mails de contacto:
congreso.seeplu@gmail.com
iolanda@unex.es
agbenito@unex.es


Sítio web:

Para informação atualizada consultar o site https://seeplu.wixsite.com/tecpt


 

21/03/17

21 de março. Dia Mundial da Poesia

Dia 21 de março é o Dia Mundial da Poesia.
Para celebrá-lo o CLP/C escolheu alguns poemas, todos eles disponíveis no centro.

*
Folha a folha como se constrói um pássaro
e entre si o ar e a árvore
se iluminam.
O pássaro canta, alguém escuta, as coisas juntam-se
em desequilíbrio
no grande buraco luminoso para cima.
E o canto continua tudo entre árvore e ar
com a luz desarrumada folha a folha.
E cada coisa regressa de si mesma.
No papel onde se levanta o mundo numa baforada desde as unhas
ao braço e à cara e à boca no som apenas
de pedaços de palavras,
a assimetria dos dedos nos vocabulários que faíscam, uma
soletração pouca.
O canto inteiro escrito arterialmente perto,
coluna de sangue e ar,
canto pequeno.

Ou o poema contínuo

Herberto Helder

21 de março. Dia Mundial da Poesia


Dia 21 de março é o Dia Mundial da Poesia.
Para celebrá-lo o CLP/C escolheu alguns poemas, todos eles disponíveis no centro.

FADO DAS AMARGURAS

meu amor, se me és o mundo
nestas minhas desventuras
podes ver quanto me afundo
no lodo das amarguras

não posso viver contente
de meu próprio natural
o meu bem corre-me mal
e o meu mal é recorrente.
mas a mim infelizmente
parece que mais abundo
em tristezas num segundo
do que os mais em toda a vida
és a história repetida
meu amor, se me és o mundo

eu dei, tu deste, nós demos
um ao outro a vida acesa,
tinha a força da represa
darmos tudo o que pudemos
e as palavras que dissemos
de paixão e ardentes juras,
os afagos, as ternuras,
tudo isso agora parece
que não trava o que acontece
nestas minhas desventuras

Poesia 1997/2000

Vasco Graça Moura


21 de março. Dia Mundial da Poesia

Dia 21 de março é o Dia Mundial da Poesia.
Para celebrá-lo o CLP/C escolheu alguns poemas, todos eles disponíveis no centro.

O JARDIM

O jardim está brilhante e florido,
Sobre as ervas, entre as folhagens,
O vento passa, sonhador e distraído,
Peregrino de mil romagens.

É Maio ácido e multicolor,
Devorado pelo próprio ardor,
Que nesta clara tarde de cristal
Avança pelos caminhos
Até os fantásticos desalinhos
Do meu bem e do meu mal.

E no seu bailado levada
Pelo jardim deliro e divago,
Ora espreitando debruçada
Os jardins do fundo do lago,
Ora perdendo o meu olhar
Na indizível verdura
Das folhas novas e tenras
Onde eu queria saciar
A minha longa sede de frescura.

É ESTA A HORA...

É esta a hora perfeita em que se cala
O confuso murmurar das gentes
E dentro de nós finalmente fala
A voz grave dos sonhos indolentes.

É esta a hora em que as rosas são as rosas
Que floriram nos jardins persas
Onde Saadi e Hafiz as viram e as amaram.
É esta a hora das vozes misteriosas
Que os meus desejos preferiram e chamaram.
É esta a hora das longas conversas
Das folhas com as folhas unicamente.
É esta a hora em que o tempo é abolido
E nem sequer conheço a minha face.


Dia do Mar

Sophia de Mello Breyner Andresen


Exposição Potencial Económico da Língua Portuguesa

 
 
 
A "Exposição Potencial Económico da Língua Portuguesa" foi inaugurada, no dia 16 de março de 2017, na Fundación F.Concha, em Navalmoral de la Mata, com uma visita guiada a cargo da leitora Raquel Gafanha.
 
Aqui ficam algumas fotografias do evento.
 



 
 



















09/03/17

IX Jornadas de Atualização Docente de Português


 
 
O Centro de Língua Portuguesa do Instituto Camões/IP informa que as IX Jornadas de Atualização Docente de Português terão lugar nos días 24 e 25 de março, no CPR de Cáceres, subordinadas ao tema: "Mobile Learning como recurso nas aulas de PLE".

Estas Jornadas são organizadas pela Coordenação do Ensino de Português em Espanha e Andorra, pelo Centro de Língua Portuguesa/Camões IP na Universidade de Extremadura e pelo CPR de Cáceres. Embora só se possam inscrever formalmente os professores associados ao CPR, a entrada é livre, estando a participação limitada a 50 pessoas.


As inscrições estão abertas até 21 de março de 2016 através de

https://inscripciones.educarex.es/index.php?id=57316
















 


 

08/03/17

As mulheres mais influentes de Portugal




A influência é como o arco-íris, vê-se, mas não se sabe bem onde começa nem onde acaba. Ela depende do poder que se tem, da carreira que se construiu, da fortuna que se possui, da rede que se teceu e da imagem que se projeta. A influência é poder, é dinheiro, é a capacidade de conseguir que as coisas aconteçam. É a qualidade de mudar o curso dos acontecimentos, das decisões.
 A influência pode medir-se pelo currículo e pelos cargos ocupados, a presença mediática, o reconhecimento pelos pares nas áreas de carreira, o impacto social, profissional, político, empresarial,e a fortuna. Mas, como diz o escritor alemão Hans Magnus Enzensberger, a influência vai além do poder: “Não sou o tipo de pessoa que quer exercer o poder. Interessa-me mais a capacidade de influir. Pode ter-se influência sem poder.”

O contexto e o momento condicionam as escolhas. O Diário de Notícias, de 
9 de outubro de 2010, elencava as quatro mulheres mais influentes nos negócios na altura e que eram Cláudia Goya, que então dirigia a Microsoft Portugal, Ana Maria Fernandes, CEO da EDP Renováveis, Vera Pires Coelho, CEO da Edifer, e, a única que ainda hoje se mantém com uma posição relevante, Esmeralda Dourado, que aos 57 anos deixou a liderança executiva da SAG para ter tempo para uma “segunda vida”.

Neste estudo procurou fazer-se uma leitura mais ampla e diversificada da influência que em 2015 as mulheres têm na vida económica, social, cultural, artística e científica. Pode verificar-se que durante algum tempo a justiça em termos da sua organização estava determinada pelo poder de quatro mulheres: Joana Marques Vidal, como procuradora-geral da República; Paula Teixeira da Cruz, como ministra da Justiça; Maria José Morgado, 
no DCIAP; e Elina Fraga, como bastonária da Ordem dos Advogados. Curiosamente, no governo liderado por António Costa, o ministério da Justiça volta a ter uma mulher, Francisca Van-Dunem e assim se mantém a liderança feminina.
 
 

Há quem tenha influência porque tem peso na gestão e nas empresas como Esmeralda Dourado ou Isabel Vaz, dimensão artística como Paula Rego, Maria João Pires, Joana Vasconcelos e Mariza ou porque atingiu uma projeção científica como Maria Manuel Mota ou Elvira Fortunato. O setor social está representado por Isabel Jonet, presidente do Banco Alimentar, e
 por Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud. Mais pacífica é a presença e o impacto de figuras mediáticas como Cristina Ferreira, apresentadora, ou Judite de Sousa, jornalista, ambas da TVI.

Nesta lista é interessante destacar 
a importância de uma empresária estrangeira como é Isabel dos Santos, cujas participações em empresas portuguesas lhe dão um peso relevante. A empresária angolana integra o BBC 100 Women que seleciona as 100 mulheres que fizeram a diferença em 2015, as “inspirational women”.

É significativo também o facto de a política ter permitido que algumas destas mulheres cimentassem a sua influência, como Paula Teixeira da Cruz, Leonor Beleza, Maria Luís Albuquerque, Assunção Esteves ou Manuela Ferreira Leite. Os caminhos para a influência são muitos, mas só alguns podem aspirar a detê-la.


Exposição "Potencial económico da língua portuguesa"

 
 
 
 
 

 
 
A exposição "Potencial económico da língua portuguesa" vai estar patente na Fundación Cultural la Concha, em Navalmoral de la Mata, de 16 a 30 de março de 2017. 
 
 
 
Como atividade complementar, no dia 16 de março, pelas 17h45, estará presente, nesse espaço, a responsável do Centro de Língua Portuguesa/Camões, I.P. na Universidade de Extremadura, Raquel Madail Gafanha, que fará uma visita guiada à exposição.

Novidades no CLP/C


Exames de Português CAPLE-UL: CIPLE, DEPLE, DIPLE é o primeiro volume da série CAPLE-UL e apresenta modelos de exames do sistema de avaliação e certificação do português, produzidos pelo CAPLE (Centro de Avaliação de Português Língua Estrangeira - Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa).

Destina-se a quem se quer preparar para os exames CIPLE: Certificado Inicial de Português Língua Estrangeira (nível A2); DEPLE: Diploma Elementar de Português Língua Estrangeira (nível B1) e DIPLE: Diploma Intermédio de Português Língua Estrangeira (nível B2).

Exames de Português CAPLE-UL: CIPLE, DEPLE, DIPLE pode ser utilizado em autoaprendizagem ou em cursos com professor (presenciais ou em modalidades a distância). Os modelos contribuem para o professor preparar os alunos para os exames e para os candidatos aos exames se familiarizarem com o tipo de tarefas que constituem os exames.

A diversidade de tarefas responde adequadamente à heterogeneidade de contextos de ensino, aprendizagem e avaliação do português.



Exames de Português B2 faz parte da coleção EPFOL – Exames de Português para Falantes de Outras Línguas – e apresenta material de preparação para 11 exames de português realizados por sistemas educativos e instituições de avaliação e certificação da língua portuguesa em vários países.

Destina-se a quem se quer preparar para um dos exames de português em sala de aula ou em autoaprendizagem e pode ser usado como apoio nas aulas de português, estimulando o trabalho diversificado na sala de aula, facilitando o trabalho do professor e respondendo às necessidades individuais dos alunos/candidatos.

A diversidade de tarefas responde adequadamente à heterogeneidade de contextos de ensino, aprendizagem e avaliação do português.


Este volume apresenta 224 tarefas distribuídas por duas partes: a primeira, que contém 133 tarefas, é dedicada à preparação para os exames; a segunda, composta por 91 tarefas, apresenta os modelos dos exames.

Exames de Português B2 inclui ainda sugestões para a resolução das tarefas e para exercícios de tradução, soluções e um DVD com os textos orais e vídeos.


Informamos que estas publicações se destinam apenas a consulta no CLP/C dentro do hórario de atendimento.

28/02/17

Entrudo Chocalheiro



Resultado de imagem para caretos


Vamos conhecer um dos mais tradicionais e genuínos carnavais de Portugal: o “Entrudo Chocalheiro”, em que os caretos animam a pequena aldeia transmontana de Podence.
 
Podence (perto da albufeira da barragem do Azibo) fica no concelho de Macedo de Cavaleiros, aproximadamente 30km a sul de Bragança.

A origem desta tradição perde-se no tempo, mas remontará à época pré-romana, sendo partilhada por outros locais em Trás-os-Montes e na vizinha Espanha.

Nestes dias os homens vestem trajes coloridos, com franjas de lã de cores vivas (quase sempre amarelo, verde e vermelho) que lhes cobrem todo o corpo. As máscaras dos Caretos de Podence são tradicionalmente feitas de metal, podendo também ser de couro ou madeira. Destacam-se o nariz pontiagudo e as cores vivas.

Resultado de imagem para caretos Nos dias de Carnaval, os Caretos circulam pelas ruas da aldeia, normalmente em grupos, em busca de raparigas para chocalhar. O chocalhar consiste numa dança em que o careto agarra a rapariga e abana a anca, batendo nela com os chocalhos que traz à cintura. Os homens que não se mascaram abrem as adegas para matar a sede aos caretos.

A imunidade dada pela máscara era propícia a excessos que não deixavam ninguém dormir descansado. Mas a tradição já não é o que era e o careto perdeu um pouco do carácter diabólico que tinha antigamente.
Neste entrudo também não faltam as marafonas e os grupos populares.


Aqui fica um video promocional!


27/02/17

Novidades no CLP/C


Chegaram duas novas obras ao CLP/C, Nem todas as baleias voam do Afonso Cruz e Homens imprudentemente poéticos de Valter Hugo Mãe.

Em plena Guerra Fria, a CIA engendrou um plano, batizado Jazz Ambassadors, para cativar a juventude de Leste para a causa americana. É neste pano de fundo que conhecemos Erik Gould, pianista exímio, apaixonado, capaz de visualizar sons e de pintar retratos nas teclas do piano. A música está-lhe tão entranhada no corpo como o amor pela única mulher da sua vida, que desapareceu de um dia para o outro. Será o filho de ambos, Tristan, cansado de procurar a mãe entre as páginas de um atlas, que encontrará dentro de uma caixa de sapatos um caminho para recuperar a alegria.










Num Japão antigo o artesão Itaro e o oleiro Saburo vivem uma vizinhança inimiga que, em avanços e recuos, lhes muda as prioridades e, sobretudo, a capacidade de se manterem boa gente.
A inimizade, contudo, é coisa pequena diante da miséria comum e do destino.
Conscientes da exuberância da natureza e da falha da sorte, o homem que faz leques e o homem que faz taças medem a sensatez e, sobretudo, os modos incondicionais de amarem suas distintas mulheres.

21/02/17

Exames CAPLE - maio 2017




O Centro de Língua Portuguesa do Camões,IP, em Cáceres, que é o Local para Aplicação e Promoção dos Exames (LAPE 1035) em Cáceres, tem o prazer de informar que as inscrições para a realização, em Cáceres, dos exames de avaliação de Português Língua Estrangeira na época de maio de 2017 estão abertas até dia 08 de maio e são limitadas.

As inscrições são realizadas exclusivamente on-line através da plataforma do CAPLE disponível em http://caple.letras.ulisboa.pt/inscricao.

Receberá, posteriormente, uma mensagem eletrónica com os procedimentos para realizar o pagamento.

Atenção: O pagamento é feito unicamente através de transferência bancária para a conta indicada na mensagem eletrónica.  

A inscrição só será validada depois de ter sido realizado o pagamento e rececionado o respetivo comprovativo original pelo Centro de Língua Portuguesa/Camões IP em Cáceres.

Para obter mais informações sobre cada exame pode consultar a página do CAPLE (Centro de Avaliação de Português Língua Estrangeira): http://caple.letras.ulisboa.pt/ 

As datas para a época de maio são:

CIPLE: 30/05/2017

DEPLE: 31/05/2017

DIPLE: 31/05/2017


DAPLE: 30/05/2017

DUPLE: 29/05/2017

20/02/17

Novidades no CLP/C


Chegaram ao centro quatro novas longas-metragens.
Luís Miguel Correia em Trabalhos do olhar trata a obra do conhecido artista português, Pedro Calapez. 


Pedro Calapez é um dos artistas portugueses com maior destaque internacional. A sua obra, plasticamente poderosa, tem-se desenvolvido de forma consistente desde os anos 70. Mas o seu percurso é rico em alterações, mudanças, invenções, continuidades, uma experiência permanente ao nível da cor, do desenho e dos materiais. 
O filme olha de perto o artista no seu atelier ou na montagem de uma exposição, revelando o seu processo de criação, indagando a própria especificidade da pintura.

Ao mesmo tempo, é-nos dada a riqueza e as dimensões  do trabalho artístico de Calapez, numa viagem que vai da exposição na Galeria Max Estrella, em Madrid, à Casa da Cerca, em Almada, mas também olhando um trabalho cenográfico e revelando as obras públicas, nomeadamente os trabalhos efectuados no Mosteiro dos Jerónimos, na Igreja da Santíssima Trindade, no santuário do Fátima ou na praça em calçada portuguesa na Porta-Sul da Exposição Internacional de Lisboa de 1998.


O segundo filme, O teatro dos outros, foi realizado por Jorge Silva Melo. Este filme é uma revisitação da obra do pintor Nikias Skapinakis a partir da exposição Quartos Imaginários. 



“Ele é, de certa maneira, o único clássico que conheci”, diz Jorge Silva Melo, “o artista apolíneo que instala uma distância clara entre si e o objecto, que pinta com as “mãos frias”, no dizer exacto do poeta José Gomes Ferreira, um pintor que não rejeita nenhum dos géneros, o desenho, o nu, a paisagem, o retrato, a natureza morta. 

Viajar livremente pelos seus trabalhos, encontrar temas e técnicas transmutadas, seguir os seus mais de cinquenta anos de vida activa e prática ininterrupta é viajar por um universo meticuloso, intenso, intransigente, obstinado, livre. É a essa intransigência e a essa liberdade que quereria convidar o espectador, são cinquenta anos de uma provocação tranquila como já houve quem chamasse à sua obra multímoda e única.”

O terceiro foi realizado por Rui Esteves e chama-se Todi, a segunda morte de Luísa Aguiar


Durante 24 horas, algures no ano de 2008, uma octogenária de porte digno, vestida de negro e de olhar surpreso, percorre locais em Setúbal, Porto e Lisboa. Seu nome: Luísa Aguiar, La Todi. 

O primeiro nome português cantado nas ruas, a ser disputado por fações rivais, sussurado por políticos e poetas, inspirador de compositores, vítima de invejas e de cabalas empresariais.
Idolatrada nas cortes imperiais da Europa e nos grandes teatros, amiga de Maria Antonieta, Catarina da Rússia, Frederico da Prússia, Beethoven, de Napoleão Bonaparte, inspiradora de Cherubini e tantos outros, a "Cantatrice de La Nation" morre, viúva, só, quase cega e quase pobre em Lisboa.

A mulher, de passo hesitante mas de mente lúcida, erra por entre gente e computadores, esplanadas e prédios, becos e teatros, pontes destruídas e conventos, procurando (quase) inutilmente reconhecer esses mesmos locais, agora de triste esquecimento. 

Por fim, destacamos os dois documentários de Fernando Lopes, Lissabon Wuppertal Lisboa e Tomai Lá do O'Neill, reuniddos num DVD.



Lissabon Wuppertal Lisboa 

Lisboa, cidade aberta, luminosa e quente, recebe Pina Bausch e a sua Companhia, o Tanztheater Wuppertal.
Vêm para uma residência de três semanas, respondendo ao convite do Festival dos 100 Dias: a criação de Ein Neues St?ck von Pina Bausch.
Chegam de olhos e ouvidos bem abertos, de veias bem temperadas, atentíssimos aos sinais, às cintilações, aos sons, aos perfumes e às emoções que a cidade lhes for sugerindo.
Depois, com as evocações especiais das suas próprias vidas, agora entretecidas pela aragem de Lisboa, acontecerá a tal hora muito rara em que tudo isto e tudo o resto, pela batuta misteriosa do génio de Pina Bausch, ganhará um corpo próprio, uma nova alma.
Essa terá por nome: “uma nova peça de Pina Bausch”. Ou outra coisa ainda. E Essa é que será linda: MASURCA FOGO.

Tomai lá do O'Neill

Trata-se de um tributo pessoal. Não uma biografia, muito menos uma análise crítica da obra poética de Alexandre O'Neill. Isso está feito e refeito. Trata-se, sobretudo, das vivências criativas, sentimentais e afectivas de um poeta, um dos maiores do nosso século XX, com quem tive o privilégio de conviver (e viver as aventuras da vida, mesmo se, como disse O'Neill, "a aventura acaba sempre numa pastelaria"). 






16/02/17

Prémio Fernão Mendes Pinto 2017






A Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) anuncia a abertura de candidaturas, até 31 de julho de 2017, ao Prémio Fernão Mendes Pinto 2017.

Este prémio, atribuído anualmente pela AULP, tem como objetivo galardoar uma dissertação de mestrado ou de doutoramento que contribua para a aproximação das Comunidades de Língua Portuguesa, explicitando relações entre comunidades de, pelo menos, dois países.

O valor do Prémio Fernão Mendes Pinto é de 8.000€ (oito mil euros) a atribuir numa parceria conjunta entre a AULP e a CPLP ao autor premiado e cuja publicação será da responsabilidade do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.





Os trabalhos serão agrupados nas seguintes secções: Letras e Artes /  Ciências Exatas / Ciências da Saúde e da Vida / Ciências Sociais e Humanas.

Só se poderão candidatar ao PFMP2017 as instituições membros da AULP que tenham as quotas em dia.

Regulamento

15/02/17

Maratona de leitura. Rubrica "Falando"







A Maratona de Leitura este ano assume um formato diferente.
Tudo acontece em linha!
Foi criada a rubrica "Falando" no blogue da Maratona, com o objetivo de partilhar as vossas impressões sobre a Maratona.

Contamos com o vosso comentário!






Novidades no CLP/C

Chegaram ao CLP/C duas novas obras, Que importa a fúria do Mar de Ana Margarida de Carvalho e Até que o amor me mate de Maria João Lopo de Carvalho. 


Frente a frente, duas gerações de um Portugal onde, às vezes, parece que pouco mudou…

Numa madrugada de 1934, um maço de cartas é lançado de um comboio em andamento por um homem que deixou uma história de amor interrompida e leva uma estilha cravada no coração. Na carruagem, além de Joaquim, viajam os revoltosos do golpe da Marinha Grande, feitos prisioneiros pela Polícia de Salazar, que cumprem a primeira etapa de uma viagem com destino a Cabo Verde, onde inaugurarão o campo de concentração do Tarrafal.

Dessas cartas e da mulher a quem se dirigiam ouvirá falar muitos anos mais tarde Eugénia, a jornalista encarregada de entrevistar um dos últimos sobreviventes desse inferno africano e cuja vida, depois do primeiro encontro com Joaquim, nunca mais será a mesma.



Separados pelo tempo, pelo espaço, pelos continentes, pela malária e pelo arame farpado, os destinos de Joaquim e Eugénia tocar-se-ão, apesar de tudo, no pelo de um gato sem nome que ambos afagam e na estranha cumplicidade com que partilham memórias insólitas, infâncias sombrias e amores decididamente impossíveis.


São sete as mulheres que aqui cruzam a vida de Luís Vaz de Camões. Sete as mulheres que mais o amaram ao longo dos seus 55 anos de vida. Esta é a história do homem, do poeta, do soldado, do marinheiro. Uma história de conquistas e esperas, de amores e desamores, de tempos de ventura e desventura, de ódios e paixões; uma história contada no feminino a sete vozes que, vindas de longe e atravessando terras e mares, encontram porto de abrigo na intimidade dos nossos corações. 

Esta é a história de um homem que em palavras, versos, estrofes consegue viajar no tempo para nos trazer a história singular de um mundo maior e de um amor maior. Uma história imortal que 500 anos depois continua viva, nova, próxima e presente.

30/01/17

Newsletter Camões

O Camões, I.P. lançou a “Camões em Notícias” com o principal propósito de estreitar e reforçar a relação com o seu público, pela divulgação dos três pilares da sua ação: Cooperação, Língua e Cultura.
 
Assim, é com muito gosto que lhe damos a conhecer a primeira edição desta publicação mensal, cuja linha editorial reflete os principais destaques e novidades do Instituto, bem como os principais serviços, notícias e eventos. 


Para poder passar a receber a publicação “Camões em Notícias”, e caso seja do seu interesse, poderá fazer a inscrição no Portal do Camões, I.P. em: http://www.instituto-camoes.pt/sobre/comunicacao/newsletter.  

26/01/17

XIII Maratona de Leitura em Língua Portuguesa




O CLP/C na Universidade da Extremadura em Cáceres informa que no próximo dia 25 de abril de 2017, irá decorrer mais uma edição da Maratona de Leitura em Língua Portuguesa, com a organização do Instituto Municipal da Juventude, do Ayuntamiento de Cáceres, e do CLP/C na UEx.


A XIII edição da Maratona de Leitura em Língua Portuguesa vai ter um novo formato e vai recorrer às novas tecnologias para promover a leitura.


Os alunos de português vão efetuar gravações de vídeos com as suas leituras.
No entanto, como a participação na Maratona sempre foi aberta a todos aqueles que sabem português, independentemente de frequentarem um estabelecimento de ensino ou não, todos aqueles que desejarem participar neste evento, e que não estão associados a nenhum estabelecimento de ensino, devem contactar com o CLP/C.

As propostas de leitura (disponíveis no blogue) desta edição estão relacionadas com a revista Portugal Futurista, que saiu em novembro de 1917 e foi apreendida após o lançamento.

A organização apresenta uma outra proposta este ano: a Troca de Livros. Existem diferentes pontos de recolha na cidade para deixar livros em português, que serão posteriromente entregues aos participantes da Maratona.

Foi nesta revista que foram publicados o Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX de Almada-Negreiros e o Ultimatum de Álvaro de Campos; os textos de Almada, Mima Fatáxa e Saltimbancos, os poemas de Fernando Pessoa, Episódios e Ficções de Interlúdio, e Três Poemas, de Mário de Sá-Carneiro.


Contamos com a sua participação!

Todas as informações estão disponíveis no blogue da Maratona

25/01/17

Congresso Internacional Fernando Pessoa


 

A Casa Fernando Pessoa está a organizar a 4.ª edição do Congresso Internacional Fernando Pessoa 2017, que terá lugar no auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, nos dias 9, 10 e 11 de Fevereiro.
Trata-se de um programa fundamental para a Casa Fernando Pessoa que tem como uma das suas linhas programáticas-base o apoio à investigação e divulgação do conhecimento científico.

Durante três dias, especialistas e doutorandos vão apresentar comunicações inéditas, lançar questões e responder a dúvidas do público presente.



Mais de 40 investigadores da obra de Fernando Pessoa vão participar na edição deste ano do Congresso Internacional Fernando Pessoa.

O Congresso Internacional Fernando Pessoa 2017 pretende ser um momento de encontro entre especialistas pessoanos de vários países e um estímulo para o avanço da investigação sobre Pessoa.



Para mais informações:
congresso-internacional-fernando-pessoa

24/01/17

A vida num sopro

A vida num sopro

Aqui deixamos a opinião da nossa usuária
Lourdes Correia Martinho.


Obrigado, Lourdes Martinho!



Adorei este romance, a meu ver está tão bem escrito que nos envolve rapidamente na difícil história de amor de Amélia e Luís e mantém-nos presos até ao fim.  De fácil leitura, ajuda-nos a conhecer melhor a história de Portugal na época de Salazar e da Guerra Civil de Espanha.


23/01/17

Cursos a distância do Centro Virtual Camões. Abertura do período de candidaturas do 2.º semestre 2016/2017








O Camões, I.P. disponibiliza uma oferta na área de ensino a distância em diferentes áreas do saber, com recurso à utilização de uma plataforma tecnológica em contexto web, possibilitando a aprendizagem da língua portuguesa em qualquer parte do mundo.

Até ao próximo dia 8 de fevereiro, estão abertas as candidaturas aos cursos de ensino a distância em várias áreas do saber:

Português para estrangeiros:
Português para fins específicos
Formação Contínua de Professores
 Cursos de especialização
Cooperação para o desenvolvimento

 Para mais informação e inscrição:
http://www.instituto-camoes.pt/activity/centro-virtual/inscricoes

Cinemateca edita um livro sobre Alberto Seixas Santos


Alberto Seixas Santos foi um cineasta português e um dos aderentes ao movimento do Novo Cinema português. Alberto, que morreu no passado dia 10 de dezembro, foi homenageado no dia 19 com a apresentação de um livro intitulado Alberto Seixas Santos  que consta de uma biografia e textos sobre os filmes do cineasta, com contribuições de João Bénard da Costa e João Lopes, entre outros, e a reprodução de uma longa entrevista ao diretor. 



Além disso a obra também inclui a transcrição editada das apresentações que Alberto Seixas Santos fez de filmes de Jean-Marie Straub e Danièle Huillet na rubrica Histórias do Cinema. 
Na sessão de apresentação do livro foi projetada a longa-metragem Gestos & Fragmentos uma produção do diretor na qual se fala sobre a revolução portuguesa. 

A África Brasileira no cinema


No passado dia 15 houve em Lisboa um ciclo cinematográfico na Cinemateca e na Casa Independente - A Experiência Afro-Brasileira - no qual foram exibidos filmes brasileiros que tratam de cultura e experiências africanas. 
No total foram exibidos 25 filmes entre longas e curtas metragens, tanto obras ficionais como documentárias. 
Este ciclo supôs o final do programa de cinema queer africano e afro-descendente que o projeto Africa.Cont iniciou há dois anos.
Alguns dos filmes exibidos foram Abolição, documentário de Zózimo Bulbul no qual vários brasileiros negros falam sobre a abolição da escravatura no Brasil ou Odô Yá! Life With AIDS, documentário de Tânia Cypriano que explora a história das campanhas de luta contra a Sida no Brasil. 

Para mais informações visite: http://www.africacont.org/ 

11/01/17

Escritora Teolinda Gersão conquista Prémio Literário Vergílio Ferreira 2017


  A escritora Teolinda Gersão conquistou no dia 21 de dezembro de 2016 o Prémio Literário Vergílio Ferreira 2017, atribuído anualmente pela Universidade de Évora (UÉ). Este prémio conta com o apoio do Camões, I.P.

  A vencedora da 21.ª edição do galardão foi escolhida, durante uma reunião do júri do prémio, presidido por António Sáez Delgado e que, este ano, integrou Pedro Ferré, Mário Avelar, Gustavo Rubim e Elisa Esteves.

  Instituído pela Universidade de Évora em 1997, o Prémio Vergílio Ferreira destina-se a galardoar, anualmente, o conjunto da obra literária de um autor de língua portuguesa relevante no âmbito da narrativa e/ou ensaio.

  O júri decidiu atribuir o prémio a Teolinda Gersão pela "alta qualidade da arte narrativa expressa nos vários géneros de ficção clássica, em particular o romance e o conto".
  O seu percurso, segundo o júri, "adquire especial relevo pela independência da escritora relativamente a todas as modas ou tendências que, de alguma forma, condicionam os caminhos da literatura contemporânea".

  A cerimónia de entrega do Prémio Literário realiza-se no dia de 01 março de 2017, na Universidade de Évora, data em que se assinala a morte do escritor Vergílio Ferreira.
Natural de Coimbra, Teolinda Gersão, de 76 anos, estudou germanística, romanística e anglística nas universidades de Coimbra, Tubingen e Berlim.

  A escritora foi Leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim, assistente na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde lecionou Literatura Alemã e Literatura Comparada.
Segundo a UÉ, esta edição do prémio foi a que teve mais candidaturas desde que foi criado, tendo sido apresentadas por instituições de Portugal, Espanha, Itália, EUA e Colômbia.

Na nossa biblioteca pode encontrar duas das obras da escritora. 
 
- O Mensageiro e Outras Histórias com Anjos
- Prantos, amores e outros desvarios

09/01/17

NATAL, A TRADIÇÃO À MESA


Portugal é um país recheado de tradição gastronomica o que naturalmente se reflete, ainda mais em alturas de festa, nas mesas de todas as famílias.
De Norte a Sul, dando um saltinho às ilhas, há uma grande diversidade nas mesas de Natal.


Na zona do Minho e Alto Douro, a tradição diz que no dia 24 de dezembro se jante bacalhau e polvo cozidos, acompanhados com couves e batatas. Depois da Missa do Galo é hora de cear peru assado. No dia 25, as famílias juntam-se para almoçar roupa-velha, feita com os excedentes de bacalhau e batatas.






Em Trás-os-Montes, o menú tradicional é um pouco mais complexo, e há opções para todos os gostos. No dia 24 serve-se bacalhau e/ou polvo, cozido com couves batata e raba ou assado na brasa com batata a murro. A sobremesa natalícia por excelencia são as filhós feitas de abóbora, mas os sonhos e as rabanadas não podem faltar. No dia 25, come-se leitão, cabrito, borrego a acompanhar a roupa-velha (bacalhau, polvo, batata, couve e raba). Tudo depende dos gostos de cada um.



Na Beira-Alta, tradicionalmente, o bacalhau é cozido em partes iguais de água e azeite, e é servido com couves. De sobremesa comem-se filhós do joelho, sonhos, rabanadas e bolo torto. O dia 25 é dedicado ao cabrito, quer seja assado em forno a lenha, quer seja de caldeirada.


                                                                           Na Beira-Baixa e Estremadura, a tradição é simples e similar. No dia 24 há bacalhau cozido com couves, seguido das doces filhós. Para o almoço do dia de Natal prepara-se a roupa-velha e assa-se cabrito, ou o peru no forno.




No Alentejo, podemos dizer que a tradição já não é o que era, uma vez que antigamente, na consoada, se comia galo estufado e nos dias de hoje come-se o básico bacalhau com couves. No entanto, no dia de Natal faz-se um autêntico banquete de peru recheado, com carnes e enchidos da zona. Para o final da refeição guardam-se os carolos (pequenas bolinhas de massa envoltas em açúcar e canela) e as azevias de batata-doce.



                                                                                              
Na consoada Algarvia, o litão (peixe da familia da raia) substitui o bacalhau, não deixando , no entanto, de ter couves para acompanhamento. Há quem prefira galo guisado a esta iguaria. No dia 25, ao peru recheado seguem-se as azevias de gão e batata doce. Os algarvios estendem as festividades até 26 dia em que comem a cabidela do galo e as tradicionais papas de milho.





No arquipélago dos Açores, a consoada é preparada com bastante antecedêcia. O bolo de Natal, com frutos secos e mel, é feito no dia 1 de dezembro e encetado apenas a 24. Para a ceia há por hábito um prato de peixe - bacalhau ou polvo assado -, e um prato de carne, sendo este normalmente galinha assada. O dia de Natal é um dia muito especial para os açorianos que costumam partilhá-lo com os vizinhos. Depois do almoço em família em que se come polvo e alcatra, é altura de bater à porta do lado para beber um licor caseiro, a que chamam a "mijinha do Menino Jesus". Em companhia uns dos outros, brindam junto ao altar do menino, feito com flores de laranjeira.



Na ilha da Madeira, no dia 24, serve-se carne, previamente marinada em vinha d'alhos, em pão caseiro frito, com batata bolota assada e arroz branco de segurelha. No dia 25, há carne de vaca estufada, na panela, ou assada no forno, seguida de um delicioso pudim de maracujá.








Depois deste roteiro gastronómico, recrie a sua tradição e prepare uma consoada à sua medida.



P.S. Não colocamos mais fotografías para não ficarmos com água na boca!